Diário Literário #2

Continuando com os lidos desse ano, vem ver o que passou pela minha cabeceira em Abril e Maio:

diarioliterario2

5. Trash – Andy Mulligan
Minha melhor aquisição do Bota Fora da Cosac Naif. Conta a história de como meninos do lixão se tornaram peça chave no desenrolar de um crime e na descoberta de um político corrupto. Na atual situação política brasileira essa pequena sinopse pode deixar qualquer reacionário vidrado. Para mim, foi bem ao contrário, muito além da corrupção e sobre fazer justiça, o livro marca muito mais pelas questões sociais e pela injustiça. É sobre maldade, ganância, poder, preconceito e sobre escancarar a situação da miséria e desigualdade.

6. E não sobrou nenhum – Agatha Christie
Deus abençoe os romances policiais e Agatha Christie. Como não amar?
10 pessoas aleatórias são convidadas de forma misteriosa para uma ilha, cada uma por um motivo diferente. Mas entre eles há um assassino justiceiro que vai se livrando de um a um, até não sobrar nenhum deles. Qual deles é o assassino? Qual o motivo da matança? Qual a ligação dessas pessoas? Tudo é verdade ou mentira? Tem como uma história assim dar errado? Não tem, não. Pode ler que é bom demais.

7. Um dia – David Nicholls
O livro é sobre a relação de Emma Morley e Dexter Mayhem, narrando flashs da vida deles em todos os dias 15 de Julho, durante 20 anos. Resolvi reler Um Dia este ano porque achei que ia casar bem com a minha atual fase de recém-formada-sem-a-menor-ideia-do-que-fazer-com-a-vida. E estava certa. Se você tem vinte e poucos, o livro é um abraço para corações ansiosos sobre o futuro.
A melhor coisa é poder acompanhar o amadurecimento dos personagens, com todos os altos e baixos, esperanças e decepções, alegrias e tristezas da vida. Sei que posso reler esse livro aos 30 e aos 40 novamente e vou ter uma sensação boa de que a vida é linda, mesmo com tudo que acontece. Dex e Em, Em e Dex. Ah…. que coisa mais maravilhosa.

8. Coração apertado – Marie Ndiaye
Falar desse livro é extremamente complicado. Porque é muito difícil formar uma opinião sobre ele. Conta a história da professora infantil Nadia e do seu marido Ange que começam a ser hostilizados sem nenhuma razão aparente. No começo você acha que a professora é uma vítima, no meio parece que ela é culpada e merece tudo que passa e no fim você acha tudo muito esquizofrênico.
A narração é devastadora, é possível sentir cheiros e coisas horríveis que acontecem, quando tudo está nublado você vê tudo nublado e quando o ambiente é pérfido você também sente na pele. Do começo ao fim o livro, na minha humilde opinião, não teve outro sentimento, se não o do coração apertado.

9. A herdeira – Kiera Cass
Mais um livro da série A Seleção. Até gostei de ler os primeiros três livros, apesar da história ser bem rasa. Desde o começo a autora tenta misturar um conto de fadas com uma distopia e só o que eu tenho a dizer é: miga, apenas pare. 😦
Falando sobre A Herdeira, eu gostei muito da construção da personagem. Ela é uma princesa forte e independente, que tem alguns diálogos cheios de empoderamento para as jovens leitoras.
MAS, uma personagem que tinha tudo para ser boa é transformada em uma grande bitch, mimada e bem egoísta. E fica tudo chato de ler, sabe?
Parece que a Kiera Cass desistiu de estragar as distopias e agora está tentando estragar o feminismo. Eu ainda fico me perguntando porque ela não preferiu fazer só um romance adolescente, que é a única coisa boa de tudo.

E vocês, o que estão lendo? 🙂

Anúncios

Um comentário sobre “Diário Literário #2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s